Viabilidade econômica e valor compartilhado

A AMAGGI mantém importantes relações com instituições financeiras que lhe aportam recursos na forma de empréstimos, e cujos contratos de financiamento incluem o cumprimento, por parte da companhia, de uma série de compromissos legais, fiscais, trabalhistas, sociais e ambientais, entre outros, com o objetivo de garantir que os recursos sejam empregados de forma correta e responsável. Ao fim de 2016, a AMAGGI relacionava-se com 54 instituições financeiras, entre públicas e privadas, brasileiras e estrangeiras.

Ao longo dos últimos anos, as exigências colocadas por essas instituições foram sendo incorporadas pela AMAGGI, e hoje já estão integradas à prática regular da empresa.

Embora 2016 tenha sido um ano especialmente desafiador no que concerne ao acesso a crédito para as empresas brasileiras, devido à crise que atingiu o país, a AMAGGI foi bem-sucedida nessa área, um resultado de suas boas práticas e da reputação construída pelo grupo desde sua criação. A companhia tomou, globalmente, mais de US$ 1 bilhão em empréstimos de capital de giro, em uma carteira de financiamento que chegou ao final do ano com saldo de US$ 1,82 bilhão (incluindo nesse montante capital de giro e financiamento para ativo imobilizado).

O último ano também foi de intensificação do ambiente competitivo, com o surgimento de novas empresas concorrentes no setor, o que trouxe desafios adicionais à AMAGGI para manter-se competitiva, com uma estrutura de custos condizente com o mercado. Assim, o trabalho da companhia junto às instituições financeiras buscou principalmente defender condições de custos adequadas das linhas de financiamento disponibilizadas. Isso se somou aos diversos esforços em revisões de processo e reestruturação do quadro de funcionários, de modo a otimizar os custos corporativos e ganhar eficiência.

Destacou-se, nesse sentido, a implantação do projeto de monitoramento e controle de exposições cambiais da AMAGGI. Em 2016, após 2,5 anos de trabalho, a companhia finalizou a implantação de um sistema que traz maior clareza e controle às exposições cambiais oriundas de sua prática comercial regular, além de permitir identificar boas oportunidades de otimização de processos e custos.

Esse tipo de iniciativa também é reconhecido pelas partes interessadas (stakeholders) como uma prática de melhoria contínua nos processos de negócios e administrativos da AMAGGI – um reconhecimento capturado pela empresa sob a forma de melhores e mais baratas modalidades de operações e contratos.

A AMAGGI executou em 2016 ainda outras iniciativas que geraram valor e eficiência de processos:

Elaboração e implantação bem-sucedida do modelo de cash pooling1 entre as empresas internacionais AMAGGI;

Modernização do acompanhamento de exposição cambial das empresas internacionais com a implantação da Política de Hedge2 (hedge policy) em todas as empresas;

Consolidação da gestão do fluxo de caixa na matriz de empresas internacionais da AMAGGI, como é o caso da AMAGGI Argentina;

Implantação do relatório de Fluxo de Caixa Diário inteiramente do sistema SAP;

Implantação do sistema de crédito na joint venture da AMAGGI&LDC.




1 Trata-se de uma técnica de gestão de caixa, utilizada por empresas que possuem créditos e débitos em diferentes contas correntes e que permite a combinação de várias contas em uma única. Entre os objetivos está a mitigação de impactos provocados pelo baixo saldo ou taxas de transação.

2 É uma operação que tem por finalidade proteger o valor de um ativo contra uma possível redução de seu valor em uma data futura ou, ainda, assegurar o preço de uma dívida a ser paga no futuro. Esse ativo poderá ser o dólar, uma commodity, um título do governo ou uma ação.




Valor econômico direto gerado e distribuído EC1
2014 2015 2016
Valor econômico direto gerado – receitas (Em milhares de Reais) R$ 10.314.642,00 R$ 13.597.426,00 R$ 12.303.987,00
Valor econômico distribuído R$ 1.308.855.000,00 R$ 1.842.420.893,78 R$ 2.287.321.902,90
Acionistas (remuneração de capital próprio) 0,95% 2,15% 6,25%
Colaboradores (remuneração, benefícios, encargos para empregados) 28,97% 20,86% 20,26%
Governo (impostos, taxas, contribuições) 14,69% 26,87% 33,65%
Lucro retido/prejuízo do exercício 4,06% 10,71% 7,43%
Juros e aluguéis (remuneração de capital de terceiros) 51,33% 39,41% 32,11%
Investimentos na comunidade - - 0,30%*
Total 100% 100% 100%
Valor econômico retido (R$) (“valor econômico direto gerado” menos “valor econômico distribuído”)** R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0,00

* A partir de 2016, a AMAGGI passou a reportar a porcentagem destinada à Fundação André e Lucia Maggi.

** A AMAGGI entende que todo o valor gerado foi distribuído, mesmo que parte do resultado do período tenha sido destinada à reserva de lucros para possível distribuição em períodos subsequentes. Valores alocados para lucro retido/prejuízo do exercício: 2016 – R$ 95.743.096,39; 2015 – R$ 167.889.000,00; 2014 – R$ 36.547.000,00.