Matriz de Materialidade
G4-18, G4-20, G4-21, G4-24, G4-25, G4-26

A AMAGGI considera a elaboração de sua Matriz de Materialidade uma boa prática de sustentabilidade, que ajuda a alinhar as expectativas dos públicos de interesse e manter o foco nas verdadeiras prioridades. Em 2012, a companhia realizou seu primeiro processo de materialidade, que foi revisto em 2014 – o processo é realizado a cada dois ou três anos, ou quando a companhia julga necessário. Assim, em 2016 foi feita uma revisão dos temas prioritários para a gestão do relato da empresa, processo que incluiu a análise de documentos internos e estudos setoriais; a identificação de temas e aspectos socioambientais das normas de responsabilidade socioambiental NBR 16001:2012 e ISO 14001:2015; uma dinâmica com gestores para levantamento de aspectos e impactos relevantes; e uma consulta às partes interessadas.

Para o engajamento dos públicos de interesse no processo de definição dos temas relevantes, vários métodos foram utilizados. Foram realizadas entrevistas com gestores, especialistas, produtores rurais, fornecedores e instituições financeiras. Um painel multistakeholders, realizado em Campo Novo do Parecis e Itacoatiara, permitiu engajar públicos externos, envolvendo comunidades, poder público, familiares de colaboradores, líderes comunitários, entre outros. Já o engajamento dos colaboradores contou com um grupo focal, abrangendo as quatro áreas de negócio. Houve ainda consultas on-line com públicos variados, como colaboradores, especialistas, fornecedores, produtores rurais, sindicatos e associações, consumidores e clientes de venda, bem como o governo. Para o envolvimento da Alta Direção foi realizada consulta direta.

A AMAGGI contou com o apoio de uma consultoria externa para conduzir o processo, buscando garantir a neutralidade das consultas. Os públicos consultados foram definidos a partir de um processo de mapeamento e priorização, realizado na definição da materialidade.

Todo o processo foi conduzido de maneira a dar a oportunidade para que as opiniões das partes interessadas fossem ouvidas, e permitiu uma comunicação de via dupla, buscando obter a percepção dos envolvidos sobre os impactos positivos e negativos. Os impactos levantados pelas partes interessadas, somados às referências provenientes da etapa de identificação de impactos positivos e negativos, resultaram em uma lista de dez temas relevantes priorizados, validados pela Alta Direção.

Todos os aspectos materiais identificados são materiais dentro e fora da organização.

Temas materiais G4-19, G4-27


A revisão da materialidade da AMAGGI é realizada a cada dois ou três anos, ou ainda quando há mudanças significativas para os negócios, a pertinência e a significância das questões internas e externas. A próxima revisão deverá ocorrer em 2019, porém a materialidade vigente norteará um plano de engajamento de partes interessadas que passará por revisão anual, permitindo identificar novos aspectos relacionados a possíveis mudanças e evolução de cenários para os próximos relatórios.


Engajamento de stakeholders
G4-25



Em 2015, a AMAGGI definiu seu Plano de Engajamento de Stakeholders, após passar por um processo de materialidade em 2014, que definiu os temas prioritários para o negócio, bem como os públicos a serem engajados. O plano de engajamento 2015/2016 teve 95% de suas ações realizadas, sendo 80% atendidas completamente e 15% parcialmente atendidas. O percentual de ações não iniciadas foi de 5%, o que se justifica por mudança na estratégia ao longo do período.

Algumas das principais ações realizadas foram: publicação do primeiro boletim com informações atualizadas da AMAGGI aos seus públicos de interesse (stakeholders); maior integração da sustentabilidade com as áreas de negócios e suas estratégias; inclusão do tema sustentabilidade nos Circuitos Tecnológicos; divulgação abrangente dos canal de denúncia da AMAGGI; melhorias no Programa Caminhoneiro Responsável; e programa de pagamento de bônus a produtores parceiros certificados pela RTRS.


Plano de Engajamento de stakeholders 2015/2016 (jan. 2015 a dez. 2016)



Os resultados do processo de revisão da materialidade 2016 e consequente revisão do mapa de partes interessadas serão utilizados como subsídios para as ações estratégicas de gestão da sustentabilidade – o que inclui a revisão e a implementação do Plano de Engajamento de Stakeholders e do Plano de Comunicação Estratégica da Sustentabilidade com ações de 2017 a 2019. Essas ações levarão em conta as expectativas e necessidades das partes interessadas e serão revistas e validadas anualmente pela Direção de Sustentabilidade, em um processo de melhoria contínua.