AMAGGI Logística
G4-4, G4-8

A atuação da AMAGGI Logística concentra-se sobretudo nas operações de navegação, abrangendo o transporte de grãos originados e de produção própria, além de operações portuárias e navegação fluvial no Corredor Noroeste de Exportação, por onde são escoados os grãos das regiões noroeste de Mato Grosso e sul de Rondônia. Todas essas operações são geridas e operacionalizadas diretamente pela companhia. Os grãos são transportados de Porto Velho pelo rio Madeira até o porto graneleiro de Itacoatiara, seguindo de lá para seu destino final em navios. No corredor Tapajós, que constitui uma Joint Venture com a Bunge, o transbordo é realizado em Itaituba, e a carga segue por barcaças até Barcarena.

A navegação constitui o modal prioritário no escoamento de grãos para clientes externos, pois é aquele de menor impacto financeiro e socioambiental para viabilizar essa operação. Na busca de uma operação ainda mais eficiente, a AMAGGI aposta na combinação desse meio logístico com os modais rodoviário e ferroviário. A integração entre modais é um forte ponto da estratégia econômica e socioambiental da companhia: onde não há possibilidade de integração com hidrovia, emprega-se a ferrovia, uma integração que corresponde a 30% do volume transportado pela AMAGGI e cuja participação a empresa vem se esforçando para elevar. Os transportes rodoviários e ferroviários não fazem parte da frota própria da AMAGGI.

Mais informações sobre os impactos socioambientais da intermodalidade logística você pode conferir em Mudanças climáticas e Programa Caminhoneiro Responsável.

Destaques
do ano

Em uma joint venture, a AMAGGI Logística atua também na navegação pelo rio Tapajós, de Miritituba até o Porto de Barcarena, ambas as localidades no Pará.

Destaques
do ano